domingo, 7 de novembro de 2010

2 horas no duro!

Eram para ser 30 km, mas ao ritmo a que o treino se fez, 27 km já foram um grande feito!

Mas vamos ao relato. Eramos três, eu, o Luís Cipriano e José Magalhães. Eles dois estão a preparar a maratona de Lisboa. Na qualidade de triatletas (o Magalhães e o Cipriano foram 39º e 45º respectivamente na prova final do campeonato nacional de triatlo realizada em Montemor-o-Velho em 17/Out) ambos estão habituados a esforços superiores a 2 horas.

A volta ficou definida em função dos abastecimentos, leia-se locais com fontes. Saímos do Parque da Várzea em direcção à Bordinheira, depois regresso à estrada N9 até à Coutada. O retorno fez-se pelo mesmo percurso.

O Cipriano tinha-me dito que era para fazer a 5:00/km, ritmo para 3h30 à maratona, deve-se é ter esquecido de dizer o mesmo ao Magalhães...

Arrancámos e o Magalhães colocou-se à frente a marcar o ritmo. Primeiro km, 4:42, achei que ia rápido mas não liguei. Segundo km, 4:30, e começo a ficar preocupado. Durante os três quilometros seguintes (4:28 / 4:22 / 4:26) lá fui lançando umas indirectas de que estariamos a ir muito rápido mas ninguém me ligou...a partir daí calei-me e comecei a mentalizar-me que iria ser assim até ao fim.

Por volta dos 8/9 km chegámos à Bordinheira para uma primeira breve paragem técnica para beber água. Como o tempo estava fresco e eu tinha levado umas pastilhas da Isostar dispensei a paragem. Retomámos a corrida, e o Magalhães mantinha o ritmo, quando chegámos à Coutada, por volta dos 13 km, após a única elevação que encontrámos no caminho, o Magalhães queixou-se de dor de burro, mas, após novo abastecimento, estava como novo a puxar. Novamente em direcção à Bordinheira, e novo abastecimento, e quando regressámos à estrada N9 animei pelo simples facto de já estar a correr em direcção a Torres Vedras :-)

Quando atingimos os 21 km o cronómetro marcava 1:34:00 (média 4:29/km), recorde-se que o meu melhor à meia é 1:32:03...

Aos 22 km um carro abordou-nos para perguntar a direcção para um campo de futebol ali da zona...foi uma ligeira paragem, mas para mim foi a morte do artista quando quis recomeçar ao ritmo de 4:20 já não fui capaz, deixei-os ir e mudei o chip para "defensive running" só a querer chegar ao Parque da Várzea sem grandes dificuldades. Cheguei à Várzea com cerca de 25 km, tendo feito ainda assim um parcial simpático de 4:39 / 4:32 / 4:32 / 4:40. Dado o esforço efectuado, a questão de completar os 30 km foi imediatamente colocada de parte, e apenas quis ultrapassar as 2 horas de corrida. Fiz mais dois kms em descompressão (5:10 / 4:49) e terminei com 2:02:20 (média final de 4:32/km).

Conclusões:
- Provavelmente se o treino tivesse sido feito a 5:00/km teria feito os 30 km. Se calhar até foi melhor assim, não fosse eu ficar com ideias de ir à maratona de Lisboa...
- Este pessoal do triatlo é duro...e tem alguma dificuldade em cumprir ritmos de treino...o Cipriano queria fazer a 5:00/km e o Magalhães no fim lá confessou que tinha pensado fazer os 30 km para 2h25, ou seja, 4:50/km...
- Não fiz os 30 km mas ainda assim estes 27 km são a maior distância que percorri. Em termos de tempo é que não, pois os dois treinos de 24 km que fiz anteriormente duraram mais do que 2 horas e dois minutos...

***

Detalhe por légua:

05 km: 0:22:27 (22:27)
10 km: 0:44:55 (22:28)
15 km: 1:07:36 (22:41)
20 km: 1:29:39 (22:03)
25 km: 1:52:22 (22:43)
27 km: 2:02:20 (9:58)

***

1 comentário:

José Xavier disse...

Olá Nuno;

Por vezes é bom fazermos estas abenturas, sem que as mesmas nos deixem mazelas. Desta forma também se faz o teste à capacidade das resitências, em termos de velocidade e de distância, mas o pior é o resto.

Fizeste bem, depois deixá-los ir e gerir o teu ritmo, não fossem eles começarem a desafiar-te para a maratona de Lisboa, hihihi

Um abraço
Xavier