domingo, 22 de janeiro de 2012

Cross dos Reis

A participação hoje na prova do campeonato municipal de Torres Vedras tinha como objetivo começar a preparar o corpo para uma jornada dupla competitiva (campeonato nacional de pista coberta de veteranos no fim de semana 11/12 de fevereiro). Ontem, as séries tinham corrido dentro do esperado, e hoje de manhã quando acordei, as queixas físicas não eram nada de especial.

Quando cheguei à Carregueira e vi que o percurso era bem mais exigente do que eu estava espera (6 voltas de quase 1 km com um percurso bastante sinuoso em termos de curvas e de desnível) comecei a ficar sem vontade de correr. Falta de vontade essa que se acentou mais com o aquecimento, pois o joelho esquerdo e o tendão de aquiles direito não paravam de me doer...

Decidi correr em ritmo de treino controlado, ignorando o ritmo a que os outros iam, e tendo apenas como preocupação não me aleijar. E assim foi, deixei-me ficar para trás na primeira volta convencido que ia em ritmo de "passeio", mas qual não é o meu espanto quando o garmin dá o sinal do 1º km e vejo 3:51! Só pensei: "Calma! Isto é para ser um treino. Deixa-te ir." As voltas foram-se sucedendo, eu lá fui subindo na classificação mesmo sem aumentar o ritmo. Só mesmo na última subida é que senti dificuldades.

Acabou por ser um bom "treino" de força. De tal maneira que me auto-dispenso de fazer rampas na 3ª feira :-)

***

1 comentário:

José Xavier disse...

Olá Nuno;

Quando menos esperamos, a máquina aquece e não sente mais nada senão boa disposição para correr, e não forçando e não havendo grandes objectivos, tudo se torna mais fácil.....quer dizer, não doi tanto.
As melhoras e boas corridas...
dos Xavier's