domingo, 23 de outubro de 2011

Jornada dupla

Este fim de semana tive uma dupla jornada competitiva, ou melhor, nesta fase de preparação as provas são encaradas como treinos competitivos, mas não deixam de ser corridas com dorsal ao peito.

No sábado à tarde participei no Cross de Outono no Choupal, prova a contar para o Campeonato Municipal de Torres Vedras. A prova teve a distância de 3 km, fruto do meu "regresso" ao escalão de veteranos M35. No domingo rumei a Algés e participei na Corrida do Tejo.

Mas começemos pelo principio. No Sábado acordei meio febril com os sintomas típicos de quem está a chocar alguma coisa. Tomei um brufen e lá arrebitei. Não era para correr no sábado porque tinha a corrida do tejo no domingo, mas como na 6ª feira não treinei por me sentir cansado, lá fui ao cross de outono. O objetivo era correr os 3 km sem forçar, num ritmo 4:00/km em jeito ensaio para o dia seguinte. Mas para não variar, parti, apanhei-me no grupo da frente, entusiasmei-me e quando dei por ela já tinha o primeiro km em 3:31/km. Depois veio a quebra, ainda assim, fiz os restantes 2 kms em 3:47/km.



À noite regressaram os sintomas de corpo moído e de irritação da garganta.

Na corrida do tejo o objetivo era correr os 10 km na casa dos 40:40 - 41:00 (4:04/km - 4:06/km). Até aos 5 km a coisa ainda se fez (20:23) mas sentia que ia nos meus limites e aos 5,5 km abdiquei de ir a tentar forçar. Curiosamente para meu espanto os 4 kms a seguir, em registo "motor desligado", acabaram por não ser tão maus (média 4:25/km) como me pareceram. Com a meta à vista ainda consegui fazer o último km em 4:01.



É certo que os resultados deste fim de semana podem estar influenciados pelo facto de estar meio adoentado e de estar numa fase de maior cansaço (a questão da recuperação dos treinos longos...), mas a verdade é que nesta altura, mesmo sem treinos de séries, estava à esperava de estar a andar mais. Mas não, estou a correr provas curtas (3 a 5 km ) ao ritmo a que gostaria de correr 10 km e, principalmente, estou a correr 10 km a ritmos mais lentos do que pretendo correr a meia maratona.

Para já o importante é recuperar. Julgo estar com uma fascite plantar no pé esquerdo que fez com que adoptasse uma posição defensiva a correr e que agora se reflecte através de uma dor na anca.

Melhores dias virão.

***

1 comentário:

José Xavier disse...

Olá Nuno,

Estás a entrar no teu ritmo normal. É bom ver isso.

Força...e venha de lá essa preparação para a maratona.

Um abraço
Dos Xavier' s