domingo, 12 de setembro de 2010

30ª Meia Maratona de Viseu | Crónica

Fiz 1h28...mas não contou. A medição do percurso não foi certificada pela CNEC e o meu garmin atesta que não corri os 21.097 metros. Nunca em percursos com distâncias homolgadas a medição do meu garmin foi inferior à distância da prova. Hoje quando cortei a meta, o garmin marcava 20,27 km. Dou de barato que essa medição estará afectada pela passagem no túnel do Viriato (deu sinal de perda de satélite), mas nunca justificaria uma diferença de cerca 800 metros, no máximo justificará 200/300 metros. Por outro lado, eu, ao contrário de muitos atletas, não corto as curvas pelos passeios, pelo que a diferença não me pode ser imputada...

Ainda assim o ritmo registado no garmin (4:22/km) indicia que teria batido o meu recorde pessoal (1h33m14s). Fica para a Meia Sport Zone no Porto.

Aqui ficam as minhas impressões sobre a minha prova:

Início demasiado rápido
Parti e de imediato colei-me à primeira senhora. O primeiro km marcou 3:58, o que significa que terá sido mais rápido por causa do efeito túnel no GPS. Achei que ia rápido demais e mudei de estratégia. Juntei-me ao grupo onde seguia a 3ª, 4ª e 5ª mulher. Ainda assim os outros 2 km continuaram abaixo dos 4 min. (3:55 e 3:52). Passei na placa dos 5 km (4,2 km no garmin) em 20:02. A minha prova estava traçada...vinha aí estouro...

O percurso
"Pontuável para o Troféu SPIRIDON esta é uma prova com um percurso plano, rápido...", o tipo que escreveu isto no Guia de Corridas ASICS 2010 certamente nunca correu este percurso...

Depois de estabilizar o meu ritmo, consegui fazer 3 km, entre o 4º e o 6º km, no ritmo programado para os primeiros 10 km [4:10; 4:25]. Só que depois deparei-me com valente descida. Resultado, dois km abaixo dos 4:00. Mas como tudo o que se desce mais cedo ou mais tarde acaba-se por ter que subir, seguiu-se uma bela de uma subida...a organização num aviso que entregou aos atletas juntamente com o dorsal alertava para dificuldades que a mudança do percurso exigiria...uma subida de 400 metros...400 metros???, tá bem, tá bem...9 km em 4:53...

A prova acabou para mim aos...
14 km...nem cheguei aos 15km. Passei na placa dos 10 km com 40:45, o garmin registou 41:55. Fiz entre o 10 km e o 14 km, uma série estável: 4:23/4:21/4:26/4:30/4:14, mas depois não aguentei mais, vento contra, calor, ultrapassagens sucessivas de atletas que vinham de trás em ritmo demasiado elevado que eu não conseguia agarrar...acabei por baixar os braços...daí para frente foi sofrer para resistir à tentação de parar. Os kms seguintes foram em ritmo inaceitavel para uma competição (4:50)...só quando vi a placa dos 20 km é consegui ainda extrair alguma coisa de mim, fiz os últimos 1,3 km abaixo dos 4 min.

Conclusão:
Saio de Viseu com indicações importantes. É fundamental no Porto não repetir um início tão rápido. É preferível fazer a primeira parte da prova ligeiramente acima do ritmo da 1h28 para depois tentar fazer a segunda parte em recuperação. Animicamente parece-me importante.

Outro aspecto a ter em conta, ainda que para o Porto não seja relevante, é o facto de treinar frequentemente em pisos planos fazer com que eu tenha bastante dificuldade em enfrentar este tipo de percursos.

***

8 comentários:

rustman disse...

Não obtens resultados diferentes, se continuares a fazer o mesmo de sempre... Por isso experimenta para o Porto fazer treinos a um ritmo mais calmo, se calhar só estouras depois de cortar a meta.

Abraço e parabéns pela crónica.

José Xavier disse...

Olá Nuno;

É bom aprendermos com os nossos "erros". Termos consciência de que não é aquilo que nos parece melhor e tentarmos outras alternativas.
Talvez alguma mudança no esquema dos treinos nas próximas semanas, com algumas rampas em series de intervaladas poderão auxiliar, para umas subidas no percurso do Porto.

Um abraço, e bons treinos!
Xavier

Jorge Almeida disse...

A prova de Viseu foi difícil ... Até passar por baixo da A25 é sempre a descer e depois aparece um muro! Sim aquilo parecia um muro! A juntar às subidas tivemos muito calor! Depois aquele espectáculo de carros e correr no meio deles ... De resto acho que fizeste um boa prova ... ainda tens um mês para preparar o porto!

Parabéns pela crónica.

P.S. o meu garmin marcou 20,2 …

MPaiva disse...

Nuno,
Quando estamos nas provas é muito difícil fazer gestão de andamentos, especialmente nas partes iniciais quando ainda estamos com o "depósito cheio".
Vamos ver se na próxima (na qual também conto estar) vais conseguir aguentar a vontade de andar mais rápido...

abraço
MPaiva

António Almeida disse...

Olá Nuno
não contou mas foi um excelente tempo a confirmar no Porto, parabéns.
Um dia faço essa "meia" de Viseu, há muito que está marcada, a chatice é ser no dia a seguir às Lampas, lá terei que fazer as duas, ligam-me fortes laços à cidade do Viriato, terra do meu pai.
Abraço.

NS disse...

Viva Xavier

felizmente o percurso do Porto é plano. Nos meus treinos não têm faltado séries de rampas enquanto treino de força...o mal é andar sempre a rolar no bem bom da várzea...o que faz falta é apanhar subidas como a dos Casalinhos da Alfaita :-)

Bons treinos para Roterdão

***

Viva Jorge

Vi-te no retorno, eu como já ia com o motor "desligado" ainda balbuciei um "força Jorge" mas tu ias a dar-lhe e nem te apercebeste :-)

Ainda bem que deixas aqui o teu relato...às vezes fico com a sensação de que sou só eu a queixar-me dos percursos :-)

Bons treinos para 1/2 de Ovar

***

Viva Miguel

Aí estarei no Porto para ver se é desta que me torno um sub-1h30 em percurso certificado...

E tu, a meia do Porto é para competir ou para preparar a maratona?

Bons treinos...e que as 3h30 sejam significativamente batidas.

***

Viva António

Apesar de tudo gostei de correr em Viseu. Esta prova tem um aliciante para quem não é das redondezas que é conciliar a participação na prova com uma visita à feira de São Mateus.

Acho é que o percurso devia passar pelo centro da cidade, para mostrar as vistas aos atletas forasteiros, mesmo que isso implicasse um circuito de sobe desce. Assim como assim, o percurso atual é bastante duro e acaba por decorrer uma parte significativa fora do núcleo da cidade.

Bons treinos.

***

Milton disse...

Caro Nuno,
Pela tua descrição, essa Meia Maratona foi para duros!
O bom das meia é que podemos repeti-las semanas depois (Meia de Portugal em Lisboa?).
Há margem para errar e aprender.
Já agora vê a minha última meia em Budapeste. Fantástica e sempre podes combinar com um belo fim-de-semana.
Um abraço do mais recente seguidor!
Milton
http://runningroutes.blogspot.com/

MPaiva disse...

Nuno,

Ou no Porto ou em Ovar conto fazer uma meia a dar o máximo. Ainda não escolhi qual.
De qualquer forma, conto estar presente nas duas, pelo que nos deveremos (finalmente) encontrar.

abraço
MPaiva